DICA | LIVRO ANDRESSA URACH



Quem me acompanha no SnapChat (alinebond) deve ter visto eu falar muito do livro.
Morri para viver de Andressa Urach traz esperança para os que não acreditam mais em nada.
Cheio de confissões polemicas envolvendo a miss bumbum, com fotos, reportagens e depoimentos o livro tem trechos chocantes.

Incesto e zoofilia

“O primeiro homem da minha vida foi o meu irmão. Tenho vergonha de contar isso. Eu morria de medo do meu pai e sabia, caso descobrisse, que era capaz de uma loucura para se vingar. (...) Não era a primeira situação esdrúxula na minha vida sexual quando menina. Ainda mais nova, tive meu primeiro orgasmo com um animal. Isso mesmo: um cachorro lambia minhas partes íntimas e, pasmem, eu sentia prazer. Essa degradante e demoníaca cena acontecia nos momentos em que brincava com uma vizinha de rua, dona de uma criação de cães.”

Dinheiro na cama

"Realizava loucuras na cama invocando o espírito da pombagira. Gritava e beijava bastante, carinho raro entre as prostitutas. Queria mostrar minha excitação e fidelizar a freguesia (...) Os preços dos programas começavam com 400 reais e depois iam subindo até 3 000 reais. (...) Cheguei a faturar mais de 30 000 reais por mês trabalhando de segunda a sábado. Realizava até sete programas em um único dia.”

Clientes famosos

“Fiz muitos programas de luxo ao longo do tempo de convívio no reduto das celebridades. Não vou citar cada um dos nomes dos homens que passaram pela minha vida porque não me sinto no direito de expor a privacidade de ninguém (...) Mas a lista de clientes é extensa: cantores famosos, apresentadores de televisão, modelos, médiuns, bicheiros, donos de escolas de samba, publicitários e empresários da alta sociedade, artistas de novela e jogadores de futebol conhecidos no Brasil e no mundo.”

“Barraco” pela fama

“No carnaval de São Paulo de 2013, houve uma situação armada em nome da fama. Primeiro, inventei que assaltantes haviam roubado minha fantasia da escola de samba Tom Maior, agremiação pela qual desfilaria, e, por isso, surgi no Sambódromo do Anhembi com os seios completamente à mostra (...) Foi um bate-boca só. Acabamos hostilizados em meio a tanta gritaria. Tudo exibido ao vivo pela TV Globo, emissora brasileira que detém os direitos exclusivos de transmissão do carnaval. Por fim, não desfilei e passamos a madrugada registrando boletim de ocorrência por injúria e ameaça. Meu objetivo era ser famosa a qualquer preço.”

O livro é realmente bom, uma história triste com final feliz, e é minha indicação pra vocês essa semana. Espero que gostem, se alguém ler por favor me diga depois o que achou.
Tecnologia do Blogger.